Pilar do Sul - SP, sexta-feira, 6 de dezembro de 2019
informe o texto a ser procurado

Notícias / Polícia

29/11/2019 | 18:51 - Atualizada em 29/11/2019 | 19:15

Bataia é condenado a quase 17 anos de prisão por tentativa de feminicídio da ex-mulher

A pena foi fixada em 16 anos, 11 meses e 7 dias de prisão - em regime inicial fechado, mais 4 meses e 5 dias por descumprir as medidas protetivas

Por Sérgio Santos | sergiosantos@pilarnews.com.br

Bataia é condenado a quase 17 anos de prisão por tentativa de feminicídio da ex-mulher

Promotora Patrícia Manzella Trita / Foto: Sérgio Santos / Pilar News

Em julgamento realizado na tarde desta sexta-feira (29), o Tribunal do Júri considerou o caminhoneiro Juberto de Almeida Bonifácio, o ‘Gilberto Bataia’, de 45 anos, culpado de tentativa de feminicídio praticado contra a ex-mulher, Luciana Evangelista de Carvalho Vieira de Oliveira.
 
O crime ocorreu em 16 de fevereiro (leia aqui). Segundo a denúncia, desrespeitando determinação judicial que o proibia de se aproximar da ex-mulher, o réu invadiu a residência e desferiu diversos golpes de faca contra a ex-companheira - ferindo seu rosto, mão e braços, só não consumando o ato porque a filha do casal interveio em defesa da mãe.
 
O Conselho de Sentença, formado por seis mulheres e um homem, acolheu as teses da denúncia com as agravantes do motivo fútil, pelo emprego de recurso que dificultou a defesa da vítima e pelo fato do crime ter sido praticado na presença de duas crianças, filha e neto do casal, além das sequelas irreversíveis na vítima.
 
Em plenário, 'Gilberto Bataia' negou que sua intenção fosse matar a ex-mulher. Disse que estava com a faca apenas assustá-la, mas que ela partiu para cima dele, que os dois caíram no chão e no meio da confusão ela se machucou.
 
A defesa do réu, por meio do advogado Rodrigo da Silveira Camargo, pediu aos jurados que desconsiderassem as qualificadoras, que o réu fosse condenado por homicídio simples – o que acarretaria uma pena menor, proporcional, segundo ele, ao que o réu efetivamente fez.
 
Após a votação dos jurados, o juiz Ricardo Augusto Galvão de Souza anunciou a sentença e fixou as penas.
 
Pela tentativa de feminicídio 'Gilberto Bataia' terá que cumprir uma pena de 16 anos, 11 meses e 7 dias de reclusão – em regime inicial fechado, além de outros 4 meses e 5 dias por ter descumprindo as medidas protetivas de não se aproximar da ex-mulher.
 
O advogado Rodrigo da Silveira Camargo disse que vai recorrer da dosimetria da pena. Já a promotora Patrícia Manzella Trita disse que ficou satisfeita com o resultado do julgamento.
 
A nossa reportagem, a vítima, Luciana Evangelista, disse que estava aliviada e que foi feita justiça. “Estou satisfeita. Apesar das cicatrizes e das sequelas, que não sairão, mas ele vai pagar pelo que me fez. Foi feita justiça”, disse a mulher.

Após o julgamento, ‘Giberto Bataia’ foi conduzido pelos agentes penitenciários, escoltados pela Polícia Militar, de volta à Penitenciária Dr. Antonio de Souza Neto, a P2 em Sorocaba, onde está preso desde 16 de março.
 
Leia também:

- Acusado de tentativa de feminicídio vai a Júri Popular nesta sexta-feira
- Mulher é esfaqueada pelo ex-marido na frente da filha na Nova Pilar
- PM prende caminhoneiro que esfaqueou e tentou matar ex-mulher

2 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Tiago Monteiro de Almeida bonifacio 02/12/2019 | 00:00

    JUSTIÇA FEITA MAIS LOGO LOGO ESTARÁ AQUI COM NOSCO #CANTA LIBERDADE

  • Shirlei Carvalho Góes 30/11/2019 | 00:00

    Justiça foi feita gratidão meu Deus

 
 
Sitevip Internet