Imprimir

Imprimir Artigo

14/04/2020 | 22:36

Coluna Saúde Para Todos: Coronavírus e Saúde Mental

Por Juliana Marques, médica

O período de quarentena não acabou, pelo contrário, mais do que nunca devemos ficar em casa. O momento é de cautela, proteção dos nossos idosos, famílias, distanciamento social e evitar aglomerações.

O que tem acontecido nas últimas semanas seja no país, no estado de São Paulo e aqui em Pilar do Sul tem nos mostrado como os números de casos confirmados e suspeitos de COVID-19 tem aumentado.

Pessoas com sintomas gripais (febre, tosse, dor de garganta ou dificuldade para respirar) devem evitar sair de casa. Se os sintomas se agravarem, procure uma unidade de saúde no município. Indivíduos diagnosticadas com síndrome gripal ou quadro suspeito de covid-19 serão monitorados a cada 48 horas, pessoalmente pela equipe de saúde ou pelo telefone por um profissional.

Um outro fato que gostaria de compartilhar com vocês que tenho percebido em meus atendimentos no Centro de Saúde ou no consultório médico são os aumentos dos quadros de ansiedade e transtornos psicológicos.

Cerca de 10% da população sofre de ansiedade. Precisamos tomar cuidado com o pânico generalizado. Atitudes que pioram esse estado são hábitos como ficar o dia todo lendo e assistindo notícias. É importante se informar e saber dos fatos, mas saiba dividir seu tempo, tire no máximo duas vezes ao dia para isso. Procure atividades que lhe tragam prazer, como ler um livro, escrever, cozinhar, pintar e se possível, tente praticar algum exercício físico em casa mesmo.

Durante esse difícil período, aproveite para estreitar os laços com pessoas queridas. Utilize o telefone para fazer chamadas de vídeo com seus primos, amigos, ligue para seus avós. Se a solidão e a tristeza começarem a ficar muito fortes, procure ajuda. Há diversos terapeutas fazendo consultas online, meditação e religião sem fanatismo e exageros também podem confortar.

É importante ter em mente que seu esforço pessoal impede que um número ainda maior de pessoas se contagie com o vírus. O isolamento social da população como um todo é a melhor estratégia para evitar a disseminação da doença. Grande parte dos indivíduos como crianças e jovens podem estar com o vírus mesmo sem apresentar sintomas, e transmitirem para a população de risco, como idosos.

Mais do que nunca nesse momento, precisamos aprender a exercer empatia. Todos dependemos de todos para que a situação de forma geral possa ser minimizada ou até erradicada. Ficar em casa é um ato de amor.
 
 Imprimir